1 ano de Evoé Baco

1ano_evoe_baco
(foto: Duda Ramos)

Há um ano eu produzi a vinheta do quadro Evoé Baco apresentado pelo Marcelo Veronez, que faz parte do programa A Noite Vai Ser Boa apresentado por Duda Ramos na Rádio Inconfidência (100,9 FM BH). Como presente de aniversário produzi agora uma nova vinheta de abertura para o quadro. Fui convidado para conversar sobre trilha sonora para teatro.

Parabéns, Evoé e seu UM ano de rádia!

Ontem aconteceu o tempo.

Desfiado | Barulhista

Ontem aconteceu o tempo. Vi as pessoas de olhos abertos comigo, pensando barulhos, respirando luzes e imagens.
Muito obrigado a todxs que sentaram pra dançar comigo.
Muito obrigado:
Nando Motta
Jesus Lataliza
Prisca Paes
Roger Deff
Pablo Bernardo
Toda equipe do Teatro Marília.

Eu nunca esquecerei o que vivemos juntos nessa noite.
Um abraço apertado e barulhento em vocês todos!

Barulhista - Show de Lançamento Desfiado
(foto: Pablo Bernardo)

Ouça Desfiado

Facebook Desfiado
Desfiado é um disco que começa pela capa. A fotografia em preto e branco de um homem maduro e seu rosto coberto pela barba. Pelos escuros e claros que lentamente perdem em um emaranhado sem fim. Uma perfeita representação do som experimental e essencialmente complexo que Barulhista busca desenvolver em cada uma das dez faixas que marcam este novo trabalho.
Um álbum que conta uma história sobre o movimento do tempo.

Lançado em 10 países pelo selo Fluxxx, Desfiado é uma obra de movimentos contidos, porém, sempre precisos. Preguiçosos sintetizadores climáticos se espalham ao fundo de cada composição. Ruídos eletrônicos, captações urbanas e batidas tortas. Pouco mais de 60 minutos em que Barulhista se concentra na produção de diferentes paisagens sonoras, sempre detalhistas, acolhedoras. Ambientações oníricas e bases dançantes, que fazendo valer a frase “música para dançar sentado” que Barulhista usa para apresentar a própria obra.

Este novo trabalho foi lançado em 2016 e já figura em várias listas da crítica especializada como Scream and Yell, Genius Brasil, Tenho Mais Discos Que Amigos, Embrulhador, como um dos melhores discos instrumentais de 2016. Está indicado ao prêmio da música brasileira 2016 na categoria música instrumental.

Local:
Teatro Marília
Av. Alfredo Balena, 586, Santa Efigênia
Belo Horizonte, MG

Para ouvir o disco Desfiado clique aqui.

É possível uma máquina ser gentil?

É possível uma máquina ser gentil? É viável identificar, buscar e produzir emoções através de modulações de parâmetros digitais? O que dizem os sintetizadores sobre minhas lembranças, sobre coisas que vivi?

Essas e outras respostas à perguntas não formuladas me vem à cabeça ouvindo Desfiado, novo disco de Barulhista. A obstinação dos arpeggiators, como formigas automatizadas andando ocupadas, cumprindo e repetindo seu curso e karma, como nós.

A paisagem da passagem das nuvens mineiras nos delays e pianos elétricos, como o amor que temos ou o que queremos. Tudo isso sendo observado pelo relevo distante de melodias sutis, seculares, às vezes escondidas em meio a texturas-isca, como no nosso inconsciente.

Talvez aí eu já encontre mais uma resposta. As montanhas que cercam a cidade e a tudo observam, há milênios, veem hoje alguém tirando alma de dentro de capacitores soldados numa placa.

Sim, uma máquina pode ser gentil.

Rodrigo Campello

(Produtor Musical – Ministereo)

Desfiado ao vivo

Desfiado_01_FacebookVertical

Desfiado é um disco que começa pela capa. A fotografia em preto e branco de um homem maduro e seu rosto coberto pela barba. Pelos escuros e claros que lentamente perdem em um emaranhado sem fim. Uma perfeita representação do som experimental e essencialmente complexo que Barulhista busca desenvolver em cada uma das dez faixas que marcam este novo trabalho.
Um álbum que conta uma história sobre o movimento do tempo.

Lançado em 10 países pelo selo Fluxxx, Desfiado é uma obra de movimentos contidos, porém, sempre precisos. Preguiçosos sintetizadores climáticos se espalham ao fundo de cada composição. Ruídos eletrônicos, captações urbanas e batidas tortas. Pouco mais de 60 minutos em que Barulhista se concentra na produção de diferentes paisagens sonoras, sempre detalhistas, acolhedoras. Ambientações oníricas e bases dançantes, que fazendo valer a frase “música para dançar sentado” que Barulhista usa para apresentar a própria obra.

Este novo trabalho foi lançado em 2016 e já figura em várias listas da crítica especializada como Scream and Yell, Genius Brasil, Tenho Mais Discos Que Amigos, Embrulhador, como um dos melhores discos instrumentais de 2016. Está indicado ao prêmio da música brasileira 2016 na categoria música instrumental.

Serviço:

21h / 24 de março de 2017
Teatro Marília
Av. Alfredo Balena, 586, Santa Efigênia
Belo Horizonte, MG